No dia 25 de Junho de 1894, Annie Cohen Kopchovsky, uma jovem mãe de origem judia com três filhos pequenos, ficou diante de uma multidão de 500 pessoas, entre amigos, família, curiosos e sufragistas na Massachussets State House. Declarando que iria viajar o mundo, Annie subiu na sua bicicleta Columbia de quase 20kg e partiu para o que quinze meses mais tarde o New York Times chamaria de “A viagem mais extraordinária já realizada por uma mulher”.

Annie Londonderry
Annie “Londonderry”

A aventura de Annie começou com uma aposta. Contam a história de que em 1894, um cavalheiro em Boston apostou vinte mil dólares contra outro cavalheiro que nenhuma mulher poderia viajar pelo mundo de bicicleta – um feito que tinha sido concluído pela primeira vez por um homem em 1885. Embora não seja claro porque Annie Cohen foi escolhida, ela partiu para esse desafio em 1894. Casada, ela foi uma escolha improvável, mas era um bom exemplo de como a bicicleta transformara a vida das mulheres.

Annie, que aprendera a andar de bicicleta poucos dias antes de sua partida de Boston, ganharia 500 dólares para suas despesas ao longo do caminho, e terminaria o desafio em quinze meses. Sua desenvoltura ficou em evidência logo no primeiro dia, quando ela pendurou um cartaz anunciando a companhia de água Londonderry Lithia Spring por cem dólares. A partir daí, ela concordou em ser conhecida como Annie Londonderry.

Annie Londonderry
Annie “Londonderry”, usando roupas de equitação masculinas.

Depois de dois meses, Annie trocou sua bicicleta de mulher por um modelo masculino, que pesava metade do peso. Ela ganhou mais dinheiro através de palestras, onde ela embelezava sua história com detalhes escabrosos de acidentes, experiências quase-morte e perigos evitados. Uma vez que os termos da aposta não especificavam quantas milhas tinha que andar, Annie foi de Marselha para a Ásia Oriental, com breves paradas no Egito e Cingapura, depois na China, e chegou no Japão em Março. Sem dúvidas, em alguns momentos da viagem foi necessário utilizar navios e locomotivas, como é narrado também no livro de seu sobrinho-neto Peter Zheutlin, “Around the World on Two Wheels”.

Em 23 de Março, ela chegou nos Estados Unidos, e andaria pelos próximos seis meses no sudoeste e centro-oeste, chegando em Chicago em 12 de Setembro de 1895. Contrariando as normas de gênero arraigados de seu tempo e o escrutínio da imprensa, Annie ganhou seu prêmio de dez mil dólares e, em seguida, voltou para sua família em Nova York. Ainda sim, há aqueles que acreditam que a aposta (e, portanto, o prêmio de dez mil dólares) era inteiramente fictícia, sendo apenas uma estratégia publicitária.

Annie Londonderry the new woman
The New Woman: Annie “Londonderry” Kopchovsky

Annie escreveu para jornais contando detalhes sensacionais de sua viagem, mas por razões desconhecidas ela nunca respondeu algumas perguntas especificas sobre sua viagem – como quantos quilômetros ela pedalou, por exemplo, ou o que aconteceu no trecho China-Coréia, onde estava havendo uma guerra. Posteriormente, Annie nunca mais deixou os filhos e evitava falar no assunto perto do marido.

Apesar de dificuldades burocráticas, Annie disse que o ápice de sua viagem foi na França. Apesar das críticas de que ela tinha viajado mais com uma bicicleta do que viajado de bicicleta, ela provou ser uma ciclista formidável em rotas improvisadas em toda a América.

Annie Londonderry posterEu sou uma jornalista e uma nova mulher, e esse termo diz que eu acredito que eu posso fazer qualquer coisa que um homem pode fazer.” Annie ‘Londonderry’

Apesar disso, Annie mudou a noção vitoriana do decoro feminino. Não só ela abandonou, temporariamente, seu papel de esposa e mãe, mas na maior parte da viagem ela usou roupas de equitação masculinas, e ganhava dinheiro vendendo fotos de si mesma, alugando espaço em seu corpo e sua bicicleta para anunciantes. Impetuosa e carismática – e uma mestre de relações públicas – Annie foi uma mulher ousada e sem limites, reinventado uma Nova Mulher, ousada e aventureira, do século XIX.

 

Veja também

» Bicicleta, Feminismo e Liberdade
» Rubens Pinheiro, o bahiano que pedalou de Salvador à Nova Iorque no início do século XX

 

Bibliografia


“Annie Londonderry”, em Wikipedia
“Annie Londonderry”, em AnnieLondonderry.com
“First woman to cycle the globe begins journey”, em Jewish Women’s Archive.
“Annie Londonderry: 10 Facts You Didn’t Know”, em Total Women’s Cycling.

Maria Helena

Graduada em História e mestranda em Planejamento Urbano e Regional. Administra, escreve e traduz arquivos para o site Era Vitoriana, primeiro site brasileiro dedicado ao período Vitoriano, datado de 1837 a 1901.
Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: @tripedalnetMore...