Conheça o perfil dos Super Randounneurs brasileiros que irão participar da 19ª Edição do Paris-Brest-Paris: Brazucas no PBP 2019

Luciana Cola Santo – G336

lucianasanto

Cidade:
São Paulo/SP

Naturalidade:
Jundiaí/SP

Idade:
44 anos

Profissão:
Economista

Patrocinador/Equipe:
Nenhuma

Como/Por que começou a pedalar?
Comecei a pedalar para espairecer a mente, comecei a frequentar pedais noturnos após um dia estressante de trabalho. Depois passei a fazer terra com meus amigos de pedal. Sempre quis fazer estrada, mas na época não conhecia ninguém que fazia estrada. Até que um amigo me convidou para fazer Romeiros e conheci uns speedeiros. Aí comecei a ir para a estrada com eles e a fazer longas distâncias. Sempre acompanhada com meu marido Raniel de Lima. Começamos a fazer longas distâncias juntos e desde então muitas aventuras vividas juntos. Nunca imaginei que a bike pudesse me levar tão longe, conhecer tantos lugares, tantas pessoas diferentes do meu dia a dia.

Qual o BRM/LRM mais marcante?
Absolutamente TODOS! Todos os meus brevets são os melhores, os mais marcantes. Uns eu usei para testar a privação do sono, fome, sede, do frio. Ver o por-do-sol e o nascer do sol. Conhecer novos amigos, passar mais de 20 horas embaixo de chuva, enfrentar um sol escaldante de mais de 40 graus, chorar de raiva, rir com os amigos, contar causos e piadas na madrugada para não dormir! Sempre com humildade e respeito pela estrada e pelos amigos.

Já participou de outros PBP? Como foi?
Em 2015 nos inscrevemos, porém tive uma crise de asma e parei em Loudeac com 450 km. Apesar do verão, as noites são muito geladas e, não sei o que houve, comecei a me sentir muito ofegante, sem controle nenhum sobre a minha respiração. Estávamos há uns 30 kilometros para chegar em Loudeac, e fui diminuindo demais a velocidade para me preservar, completamente assustada com o que estava acontecendo. Quando cheguei ao PC, carimbei meu passaporte e fui na enfermaria. Ele me disse que estava com asma e que deveria dormir pelo menos 2 horas. Em Loudeac reservamos um hotel que iria servir de HUB pra nós descansarmos, tomarmos um banho e seguir para Brest. Fui para o hotel, dormi 3 horas e quando acordei para seguir p Brest continuava com asma. Então decidir parar. O PBP é diferente de todas as provas que eu já havia feito.

Como foi a sua preparação para o PBP 2019?
Esta sendo ainda. Fiz todos os brevets. Durante a semana faço bike indoor para manter o cardio, além de funcional. Aos finais de semana fazemos um pedal mais longo.

Qual a sua expectativa para a prova?
Muita. Quero finalizar o que não consegui em 2015 e, quem sabe partir para outros desafios.

 

Veja também

» Confira os perfis dos brasileiros no PBP 2019
» Paris-Brest-Paris a mais tradicional prova de ciclismo de longa distância do mundo
» Saiba mais sobre os Brevets Randounnerus e Audax, o Ciclismo de Longa Distância

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: @tripedalnetMore...