Os melhores atletas de cross country olímpico (XCO) do país disputaram a etapa de São João del-Rei (MG) da Copa Internacional de MTB.

Guilherme Muller
Guilherme Muller, terceiro lugar no XCC – Short Track (Thiago Lemos / CIMTB)

Ofertando 60 pontos para os campeões no ranking mundial, o XCO foi vencido por Henrique Avancini e Letícia Cândido, ciclistas que repetiriam a dose no dia seguinte, no XCC, somando mais 10 pontos cada. Entre os atletas no top 10 do XCO masculino: Sherman Trezza (Caloi Elite Team), em quinto, Rubinho Valeriano (Sense Factory Racing), em sexto, Daniel Grossi (Groove/Shimano), em sétimo, e Wolfgang Soares (Caloi Elite Team), em nono. No XCC, Karen Olimpio (Team Oggi/Isapa) garantiu o sexto lugar entre as mulheres, enquanto Rubinho foi o quarto, seguido de Mario Couto (Sense Factory Racing), em quinto. Grossi, em sétimo, e Wolfgang, em décimo, completaram os destaques da marca.

Se no XCO masculino os atletas Henrique Avancini e Luiz Cocuzzi protagonizaram uma disputa polarizada pelo primeiro lugar, no XCC não faltaram emoções. “O short track foi uma prova mais disputada e de muita politicagem entre os ciclistas. Quando achei que estava definido, o ritmo caiu e aí se formou um grupo de dez atletas para disputar os primeiros lugares nas últimas duas voltas. Nesta reta final perdi posições, mas voltei ao top 4, onde estava desde o início, e acabei em quarto. Após a prova, o primeiro foi desclassificado, e aí fiquei em terceiro”, contou Guilherme Muller (Sense Factory Racing).

Após sofrer com um problema mecânico no primeiro dia, que o tirou da disputa pela vitória, Sherman Trezza deu a volta por cima no domingo e foi vice-campeão do XCC. “No XCO esperava um resultado um pouco melhor, porém, tive um pequeno problema mecânico na terceira volta, perdendo alguns segundos preciosos que tiraram minhas chances de brigar por uma colocação melhor. Ainda assim, terminei em quinto”, relembrou. “No short track, a prova foi bem política. Em alguns momentos o pelotão andou em um ritmo mais tranquilo, e em alguns instantes ocorreram alguns ataques bem fortes. Me mantive bem posicionado e, no final, assegurei a segunda colocação”, complementou.

Karen Olimpio
Karen Olimpio, campeã da sub 23 no cross country olímpico (Thiago Lemos / CIMTB)

Na super elite feminina, mesmo com a vitória na sub-23 e finalizando na terceira colocação do cross country olímpico, Karen Olimpio não escondeu que sua meta era o topo do pódio. “Estou feliz com meu desempenho na prova e também com a vitória na categoria, mas não vou negar que meu objetivo era vencer a etapa na super elite. Sei que tudo tem o seu tempo e continuarei me dedicando cada dia mais pra alcançar os objetivos traçados “, contou.

“Não larguei muito bem, então, tive que me achar na prova e ir em busca de posições. Consegui entrar em um bom ritmo e sair da sétima para a terceira posição, quando cheguei na Érica Gramiscelli, atleta que seria a vice-campeã do XCO. Neste momento, a campeã da prova, Letícia, já tinha aberto uma boa vantagem, e foi difícil alcança-la para uma disputa mais acirrada. Infelizmente cometi um erro e danifiquei minha roda, perdendo também a chance de brigar pelo vice”, complementou a ciclista de Lavras (MG).

 

Veja também

» CIMTB Levorin em São João Del-Rei
» CIMTB 2017 em Araxá
» Conheça os principais tipos de provas de mtb cross-country

 

Fonte

Assessoria de Imprensa Shimano Brasil | ZDL Comunicação

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: @tripedalnetMore...