Imagine pedalar 100, 200 e até 600 km durante dias. Essa é a realidade de atletas como eu, verdadeiros apaixonados por maratona e ultramaratona de mountain bike, provas que exigem bastante do nosso preparo físico e psicológico. Foi assim nos quatro títulos do Cape Epic e seis do Brasil Ride, por exemplo.

Absa Cape Epic 2015 Stage 7 Wellington to Durbanville
Abraão Azevedo e seu parceiro Bart Brentjens no final do 7º estágio da Absa Cape Epic 2015 –
Foto: Ewald Sadie/Cape Epic/SPORTZPICS

Como sei que existem muitos ciclistas como eu – “viciados” em pedalar horas a fio – resolvi compartilhar experiências e dicas que me ajudaram a chegar bem a trajetos muito desafiadores que passei durante minha carreira.

Quer saber como render o máximo numa maratona de MTB? Veja:

 

1º lugar: faça o que gosta!

Seja um verdadeiro apaixonado por maratona. Assim você poderá se dedicar 100% àquela prova e, mesmo se não vencer, saberá que deu o seu melhor. Eu me apaixonei por essa modalidade porque amo pedalar, estou sempre me desafiando e superando meus limites. Isso sem falar no visual impressionante que me proporcionam. E os seus motivos, quais são?

 

2º lugar: planejamento

Você vai precisar do máximo de dados possíveis sobre a prova que pretende participar. Altimetria, distância, clima, terreno, inclinação, subidas… tudo! Outros números importantes são os seus: limiar de lactato, peso, altura, etc. Com isso em mãos, já dá para programar os períodos de treinos, descanso e alimentação que vai seguir. Normalmente eu me preparo cerca de 6 meses antes da maratona acontecer.

 

3º lugar: a bicicleta ideal

Isso varia muito de ciclista para ciclista. Em maratonas onde são comuns trechos de estradāo – como no Brasil por exemplo – acredito que o ideal é uma bike hardtail. Minha favorita é a Scott Scale 900. Já em provas com muitas trilhas técnicas e pedras, como é o caso do Cape Epic, minha opção é uma full. Para mim, a Scott Spark 900 é a melhor. Outra dica: para ciclistas com 1,70 m de altura, sugiro uma bicicleta aro 27,5”.

Vale lembrar: o tamanho do aro é uma questão de estilo de pilotagem, físico e outros fatores que variam de ciclista para ciclista. Não existe receita, mas um bike fit pode ajudar a encontrar a melhor escolha dentro dos seus objetivos.

 

4º lugar: treinos

O erro mais comum dos iniciantes é forçar muito o ritmo nos treinos para acompanhar os atletas mais experientes. Dessa maneira, eles não conseguem desenvolver todo seu potencial aeróbico. Para fortalecer essa base aeróbia, eu procuro fazer meus treinamentos em marcha leve e trechos longos. Mantenha um ritmo moderado, não muito forte e hidrate-se. Pedalar em percursos parecidos com a maratona que me proponho a participar também ajuda, assim como praticar onde exija muito do seu conhecimento nos fundamentos de mountain bike.

 

5º lugar: alimentação

Defina uma alimentação desde o começo do seu planejamento e não a mude antes da prova. Eu procuro manter uma alimentação balanceada com carboidratos, gorduras de fonte vegetal e proteínas. Evito açúcar simples e procuro ingerir alimentos naturais. Não gosto de tomar leite antes da prova também e evito alimentos com alto índice glicêmico. Muito açúcar não é bom, carboidrato dá energia e a proteína ajuda na recuperação.

 

6º lugar: descanso

Depois de um dia de prova ou treino, evite cafeína e procure relaxar e se recuperar. Em provas muito difíceis como Brasil Ride e no Cape Epic, o descanso faz toda a diferença. Estar bem fisicamente para encarar uma nova etapa é fundamental.

bart-bretjens_abraao-azevedo
Bart Brentjens e Abraão Azevedo em busca da 6ª vitória na ultramaratona Absa Cape Epic 2016 –
Foto: Cape Epic/SPORTZPICS

 

7º lugar: controlando a ansiedade e mantendo o ritmo

Atletas mais novos se empolgam rápido. Se começar a prova num ritmo muito forte, logo terá que diminuí-lo. Isso pode quebrar sua performance. Concentre-se, mantenha o ritmo e controle seu corpo. Saiba quando deve forçar ou segurar um pouco mais para chegar bem ao final.

 

8º lugar: depois da maratona

Lembra do planejamento? Então, ele entra aqui também. Com os treinos e as competições que vai disputar na temporada em mãos, você sabe quando deverá descansar e se recuperar. A minha sugestão é que depois de uma longa maratona, o atleta faça treinos leves ou descanse por pelo menos uma semana. Só não vale parar totalmente, hein?

Eu sei que ficou um texto longo, mas não tão longo quanto uma maratona, né? Espero que gostem e lembre-se de seguir as dicas. Quem sabe a gente se encontre em maratonas por aí, né? Boas pedaladas!

 

Referências

• ABSA Cape Epic
• AAZ Sports
• Scott – IGP Sports

Abraão Azevedo

Abraão Azevedo, heptacampeão da Brasil Ride, tetracampeão da Cape Epic e tricampeão da Costa Blanca Race, dentre outras inúmeras vitórias e títulos internacionais. Fundador e treinador da AAZ Sports.
Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: tripedalnetMore...