Prova marcou a abertura do XCO Series da Brasil Ride 2020, circuito que contará com três etapas em Amparo (SP), na pista de mountain bike mais moderna da América Latina

Guilherme Muller durante a prova  (Fabio Piva / Brasil Ride)
Guilherme Muller durante a prova (Fabio Piva / Brasil Ride)

O domingo (15) foi de muita ação no Brasil Ride Bike Park, em Amparo (SP), durante a realização da Taça Brasil XCO Brasil Ride. Na principal bateria do dia, a terceira, com provas das super elites, Guilherme Muller e Raiza Goulão subiram no lugar mais alto do pódio. Ambos concluíram em 1h18, com 5 e 4 voltas completadas, respectivamente. Com o triunfo, eles somaram importantes pontos nos rankings da UCI (União Ciclística Internacional).

Na disputa entre os homens, Guilherme Muller completou a primeira volta no pelotão dos líderes, ao lado de Luiz Cocuzzi, Ulan Galinski e Bruno Lemes, os quatro em 15min24. Após concluir em primeiro a segunda volta, Luiz Cocuzzi teve um furo de pneu e abandonou a prova, que contou com Guilherme na liderança até o fim, cruzando a linha de chegada em 1h18min56. Ulan foi o segundo, seguido de Sherman Trezza, Kennedi Lago e Bruno Lemes.

“Finalmente saiu minha primeira vitória em 2020. Embora a gente esteja ainda no início da temporada, já fiz algumas provas, no País e no exterior. Muito feliz por ser o campeão da primeira etapa do XCO Series da Brasil Ride. Estou muito próximo da minha casa, então tive familiares e amigos torcendo por mim aqui em Amparo”, comemorou Guilherme Muller, natural de Monte Sião (MG).

“O circuito é muito duro. Você tem que andar sempre no seu ritmo, porque ele não irá perdoar se você desafia-lo. Fiquei bastante satisfeito com a forma que andei. Consegui aproveitar os trechos que me favoreciam e controlar a prova em alguns pontos que me exigiam mais. Feliz demais com a vitória e saio daqui realmente contente, por ser praticamente minha casa. Bem especial. A região vai aprender muito com o circuito. Ele te desafia, mas ajuda a evoluir”, finalizou.

Vice-campeão e melhor atleta da sub-23, o jovem Ulan Galinksi vibrou bastante. “A prova foi muito dura, bem no estilo Brasil Ride. Estou feliz demais pelos dois resultados. Tentei andar na ponta, mas o Guilherme estava mais forte e constante. Ele está de parabéns. Sou novo e tenho uma grande margem para poder trabalhar e aprender a andar na ponta. Grato pela oportunidade e por aprender cada vez melhor”, destacou Ulan, de apenas 21 anos.

 
Raiza Goulão liderando entre as mulheres  (Fabio Piva / Brasil Ride)
Raiza Goulão liderando entre as mulheres (Fabio Piva / Brasil Ride)

Super elite feminina

Entre as mulheres, Raiza Goulão dominou a corrida do começo ao fim. Na primeira volta, conseguiu abrir 29 segundos de folga para Jaqueline Mourão, que diminuiu o gap para 22 ao término da segunda. Na penúltima, Raiza acelerou e garantiu 39 segundos de frente para a adversária. Ela encerrou a disputa em primeiro lugar, com o tempo de 1h18min36, quase um minuto à frente de Jaqueline. Completaram o pódio Karen Olimpio, Hercília Najara e Letícia Cândido.

“Me senti muito bem nos treinos, mas era uma pista que não adiantava treinar muitas vezes porque é dura demais. Alguns amigos locais me ajudaram dando dicas para eu acertar na fluidez e acredito que isso fez a diferença. O calor foi forte, então me controlei na segunda volta. Esta foi minha segunda prova no Brasil em 2020 e garanti outra vitória. Sensação incrível de estar em total sintonia com minha bike”, disse Raiza. “Não posso esquecer de parabenizar a organização, porque é um legado sensacional que fica para o Brasil”, completou.

 
Giugiu Morgen  (Fabio Piva / Brasil Ride)
Giugiu Morgen (Fabio Piva / Brasil Ride)

Destaques da categoria de base

Também na terceira bateria largaram os ciclistas da júnior, em prova que contou pontos no ranking da UCI. Enquanto Giugiu Morgen foi a vencedora entre as mulheres depois de duas voltas, Alex Malacarne faturou o título no masculino, após concluir três voltas. Duas das maiores revelações do mountain bike brasileiro na atualidade, ambos são ciclistas candidatos a estarem nos Jogos Olímpicos de Paris-2024.

 
Thiago Velardi, campeão do E-MTB  (Fabio Piva / Brasil Ride)
Thiago Velardi, campeão do E-MTB (Fabio Piva / Brasil Ride)

E-Mountain Bike

A competição de mountain bike elétrica foi a responsável por encerrar a programação da primeira de três etapas do XCO Series da Brasil Ride. O campeão da categoria única foi Thiago Velardi, após completar quatro voltas em 52min28, 22 segundos à frente de Erick Bruske. Nataniel Giacomozzi, Gabriel Giovannini e Diogo Malagon completaram as cinco primeiras colocações.

 

Resultados super elites

Pódio super elite masculina  (Wladimir Togumi / Brasil Ride)
Pódio super elite masculina (Wladimir Togumi / Brasil Ride)

Super Elite Masculina

1-Guilherme Muller – 1h18min56 (5 voltas)
2-Ulan Galinski – 1h19min35 (5 voltas)
3-Sherman Trezza – 1h21min14 (5 voltas)
4-Kennedi Lago – 1h21min46 (5 voltas)
5-Bruno Lemes – 1h22min04 (5 voltas)

 
Pódio super elite feminina  (Wladimir Togumi / Brasil Ride)

Super Elite Feminina

1-Raiza Goulão – 1h18min36 (4 voltas)
2-Jaqueline Mourão – 1h19min32 (4 voltas)
3-Karen Olimpio – 1h22min32 (4 voltas)
4-Hercília Najara – 1h25min39 (4 voltas)
5-Letícia Cândido – 1h29min33 (4 voltas)

 

Veja também

» Saiba mais sobre a XCO Series da Brasil Ride
» Conheça os principais tipos de provas do MTB Cross-Country (XC)
» As 4 Modalidades do Campeonato Mundial de Mountain Bike

 

Fonte

Assessoria de Imprensa Brasil Ride / ZDL Sports

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: @tripedalnetMore...