O Brasil conquistou as medalhas de ouro da Elite masculino e feminino do Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike XCO, Luiz Henrique Cocuzzi e Raiza Goulão.

Luiz Henrique Cocuzzi Panamericano 2018
Luiz Henrique Cocuzzi campeão pan-americano de MTB XCO (Maximiliano Blanco/CBC)

O município de Pereira, na Colômbia, recebeu neste fim de semana a principal competição de mountain bike do continente, o Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike de 2018. Luis Henrique Cocuzzi venceu a prova e concluiu as seis voltas no circuito de 4,1 km em 1h24min50. O pódio da elite masculina contou ainda com o costarriquenho Carlos Herrera e o argentino Catriel Soto, em 1h25min35 e 1h26min50, respectivamente. Guilherme Muller ficou em quarto lugar, Henrique Avancini completou em sétimo, em 1h27min30, e Rubinho Valeriano concluiu em nono, em 1h28min10. Os brasileiros José Gabriel Marques ficou em 12º na elite, e Sherman Trezza abandonou a prova na metade final. Mario Couto foi o sétimo da sub-23.

Raiza Goulao panamericano 2018
Raiza Goulão conquista o título de campeã pan-americana de MTB XCO (Maximiliano Blanco/CBC)

Na elite feminina, Raiza Goulão venceu com o tempo de 1h26min50s. A norte-americana Chloe Woodruff foi prata, com 1h27min14s e a mexicana Daniela Campuzano, grande rival da brasileira, ficou com o bronze, com o tempo de 1h28min04s. A brasileira Leticia Candido completou a prova na 20ª colocação.

Após ser prata em 2016 e terminar na 5ª posição em 2017, Raiza Goulão, número 12 no ranking mundial, não deu espaço para as adversárias e dominou a corrida de ponta a ponta. Essa foi a primeira medalha pan-americana de ouro da categoria elite na carreira da brasileira.

A jovem ciclista Giuliana Morgen, de 14 anos, foi um dos destaques femininos do Brasil no Campeonato Pan-Americano de MTB da Colômbia. Em Pereira, Giugiu – como é conhecida – conquistou o título de campeã juvenil pan-americana. Também estiveram presentes na competição outras Karen Olimpio quarta colocada na sub-23, e Marcela Lima top 10 na júnior.

Raiza Goulão panamericano 2018Foi uma prova incrível. Eu acho que essa foi a primeira competição que consegui aplicar 100% da estratégia que havia definido. Estava muito concentrada e apesar do forte ritmo, conseguia me poupar a cada volta, as sensações eram ótimas. Depois de uma sequência de copa do mundo e Cape Epic, conquistar o primeiro título Pan-Americano na Elite me motiva cada vez mais a seguir forte e focada na classificação do Brasil para Tóquio 2020. Agradeço muito ao meu treinador Vitor Rodrigues pelo trabalho que realizamos nos últimos meses, a confederação e o COB pela oportunidade, além de todas as pessoas que ficaram na torcida” Raiza Goulão

Guilherme muller panamericano 2018Foi uma prova bem disputada em um circuito bem complicado para fazer ultrapassagens. Alinhei na terceira fila e tinha tudo para fazer uma boa largada, mas um atleta na frente acabou escorregando e eu fiquei preso atrás dele. A estratégia de ganhar tempo no início ficou para atrás. Iniciei provavelmente na 12ª posição e mantive a calma, para ir recuperando posições. Fiz força em lugares importante e isso fez diferença. Nas duas últimas voltas entrei no top 5 e dei o máximo para segurar este quarto lugar” Guilherme Muller

Giugiu Panamericano 2018Estou muito feliz com esta conquista. A prova foi muito dura, a mais difícil que eu já fiz. Tinha muitas subidas e partes técnicas. Estive o tempo todo trocando de posições com a segunda colocada, até que nos metros finais dei tudo que tinha para sair com a medalha de ouro” Giuliana Morgen

 

Fontes

Assessoria de Imprensa Confederação Brasileira de Ciclismo
Assessoria de Imprensa Shimano Sports Team

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: tripedalnetMore...