O Warm Up do Festival Brasil Ride é sempre um dos meus grandes objetivos na temporada. Ainda mais porque é uma competição de três dias em que consigo andar bem. O percurso me beneficia pelo estilo da corrida e também pelo relevo de Botucatu e região. Gosto demais do ambiente e da disputa com diversos atletas de alto nível. Fui em busca do tricampeonato, o que me deixou muito feliz. Entro sempre pensando em vencer, mas não sou um ciclista obcecado por títulos ou recordes. Apenas vou para um competição pensando em dar o meu melhor.

Festival Brasil Ride Hugo Prado
Hugo Prado sobe sozinho a Tirolesa do Gigante (Fabio Piva / Brasil Ride)

As características da prova variam muito nas três etapas. O prólogo é curto e explosivo, bastante intenso e completo, porque tem single track (trilhas estreitas), estrada de asfalto e de terra, descidas técnicas em rock garden (jardim de pedras). O segundo dia é bem veloz e encaixa bastante para os ciclistas de estrada, porém relativamente longa. É uma disputa tática porque há uma subida no meio e o restante é bem plano. A última etapa, se fosse só ela, já seria uma grande prova. Longa, com mais de quatro horas e fadiga acumulada dos dias anteriores.

E nesta etapa decisiva, a Rainha, pra mim ela começou realmente no km 34 quando tínhamos uma subida de asfalto e, em seguida, entrava na primeira descida técnica. Naquele momento ataquei, mas logo no início dessa descida furou meu pneu. Levei um tempo para consertá-lo e tive que buscar os adversários. Na metade dos 106 km, estávamos em um grupo de seis ciclistas. O Mario, que era o líder, ficou para atrás na segunda descida e monitorei como estavam os atletas do pelotão.

Festival Brasil Ride Hugo Prado
Hugo lidera escapado na última etapa (Fabio Piva / Brasil Ride)

Em certos momentos eu forçava o ritmo nas subidas, porque tinha que ser agressivo para selecionar o pelotão. Na próxima descida técnica que teve, escapei junto com o Uirá Ribeiro, atleta da Máster A2. Faltando 40 km éramos só nós dois e, em seguida, abri dele e fui sozinho.

Estou feliz demais com essa vitória e me sinto realmente merecedor deste tricampeonato no Warm Up Pro. Acredito que esta decisão foi a maior corrida que fiz em 20 anos de carreira no mountain bike.
Por Hugo Prado Neto

Hugo Prado Neto Warm-up
Hugo Prado comemora o título com a medalha (Fabio Piva / Brasil Ride)

O ciclista mineiro Hugo Prado Neto sabia que teria barreiras para chegar ao tricampeonato do Warm Up Pro, prova que faz parte do Festival Brasil Ride, em Botucatu (SP), que aconteceu no final de semana. Mas os incidentes foram além da conta e fizeram o título ter um sabor ainda mais especial para o atleta, que está completando 20 anos de carreira.
 
Depois de ficar em segundo lugar no prólogo, Hugo viu os concorrentes se distanciarem na segunda etapa, precisando de muita superação na última etapa, que seria sua chance derradeira de ir bem. Um pneu furado na terceira prova o fez perder ainda mais tempo, mas sua técnica e precisão o fizeram recuperar o tempo perdido para chegar bem na frente dos rivais.” Daniel Ottoni – O Tempo

 
Hugo Prado - Warm-up brasil ride 2018 premiação
Pódio da elite masculina no Warm Up Pro (Wladimir Togumi / Brasil Ride)

 

Veja também

» Resultados do Warm Up Pro no Festival Brasil Ride Botucatu
» Calendário de provas da Brasil Ride 2018
» Confira o nosso ranking com as melhores ultramaratonas de MTB do Brasil
» Conheça as modalidades do mountain bike cross country (XC)

 

Fonte

Assessoria de Imprensa Brasil Ride | ZDL Sports

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: tripedalnetMore...