Quando o Mountain Bike nasceu na década de 50 na Califórnia, ele surgiu a partir de adaptações do ciclismo de estrada para percursos off-road. Com o aperfeiçoamento das bicicletas, acessórios e técnicas, o mountain bike evoluiu muito e foram surgindo diferentes modalidades, como: Cross-Country, Downhill, Enduro, Freeride, Trial, entre outros. Cada modalidade com seu estilo, equipamento, duração e variação de percurso.

Largada da Brasil Ride Maratona (XCM) 2016
Cross-Country Maratona (XCM) – Maratona Brasil Ride 2016 / Sportograf

O Cross-Country é a modalidade onde os atletas atravessam percursos com subidas e descidas, em trilhas e estradas de terra, em diferentes tipos de terreno e obstáculos naturais. Em geral, as provas podem variar de 6 a 690 km e acontecer em diferentes terrenos. É também a modalidade mais tradicional do Mountain Bike e a mais praticada no Brasil, devido a sua versatilidade e o menor custo do equipamento de entrada, além da facilidade em encontrar locais para a prática do esporte.

Assim como as outras modalidades do Mountain Bike, o Cross-Country também possui diferentes modalidades competitivas, com formatos de provas bastante variados. Confira as características de cada uma delas de acordo com o regulamento da UCI – União Internacional de Ciclismo.

 

Cross-Country Olímpico (XCO)

É a prova disputada com várias voltas em um circuitos fechados, com cada volta de no mínimo 5km e no máximo 9km, formado por trilhas e alguns trechos de estrada. A preferência do formato do circuito é a forma de trevo, com decidas e subidas técnicas rock-gardens (trechos de pedras), raízes e outros obstáculos, geralmente as provas de XCO tem duração de 1h30 a 2h e um total de 30 a 40km em percursos bastante técnicos e pesados. A largada é em grupo e o vencedor é o atleta que completar no menor tempo o número de voltas definido pela organização do evento. O estilo surgiu e ganhou popularidade a partir da adaptação da Maratona (XCM) para o circuito olímpico.

 

Cross-Country Maratona (XCM)

As provas do Cross-Country Maratona acontecem em estradões e trilhas, seguindo os traçados das rotas e das pistas florestais, os campos e os caminhos de terra ou cascalho e apresenta variações de desnivelamentos significativas. O percurso não pode compreender nenhum trecho por onde os corredores passem duas vezes pelo mesmo local. À distância a percorrer sobre rotas pavimentadas ou asfaltadas não deve exceder a 15% do percurso total. Geralmente uma prova de cross-country formato maratona tem duração de 3 a 6 horas e um percurso de 60 a 120km, ou maior. É o estilo mais praticado e o que mais cresce no país.

 

Cross-Country em linha – Point to point (XCP)

O tipo de prova e de terreno do cross-country em linha é semelhante ao cross-country maratona. No entanto, o percurso de uma prova de cross-country em linha é menor que o XCM, tem no mínimo 25 km e no máximo a 60 km, normalmente os percursos tem predominância de estradas de terra. As provas de XCP tem largada em um local e chegada em outro, por exemplo, entre cidades diferentes.
* Uma grande curva com partida e chegada comum pode ser autorizada.
* No Brasil, muitos organizadores de provas, se equivocam na denominação e confundem este formato de prova com a Maratona (XCM), que tem percursos maiores do que as provas de XCP.

 

Cross-Country Eliminator (XCE)

É uma modalidade disputada geralmente em um circuito menor que o de XCO e mais rápida, com mais obstáculos onde o atleta é obrigado a fazer muita força para conseguir o melhor tempo. Cada atleta tem direito a uma volta rápida para marcar seu tempo oficial, depois, são efetuadas baterias classificatórias com quatro atletas, classificando os dois atletas mais rápidos, até que se dispute a final com quatro atletas.

 

Cross-Country sobre circuito curto – Criterium (XCC)

São provas rápidas e intensas. O circuito do Criterium (XCC) tem em média 2km e no máximo 5 km, e a duração da prova entre 30 e 60 minutos. A largada é em grupo com pelo menos 15 atletas. Além do circuito menor do que o de XCO, os obstáculos naturais são de baixo nível técnico e os participantes geralmente utilizam todos os tipos de mountain bikes, incluindo as FatBikes.

 

Cross-Country contra o relógio – Time Trial (XCT)

O circuito de uma prova de cross-country contra o relógio tem no mínimo 5 km e no máximo 25 km. As largadas são individuais, no entanto, em algumas provas a etapa de Time Trial tem largadas com duas equipes, buscando fazer o menor tempo possível no percurso. As colocações são definidas conforme o tempo dos atletas, sendo campeão o atleta/equipe que fizer o menor tempo. Só podem ser disputadas como etapas de provas de XCS.

 

Cross-Country revezamento por equipes – Team Relay (XCR)

As provas oficiais de cross-country com revezamento por equipes são organizadas durante os campeonatos do mundiais e continentais em um único evento. Cada país participa com quarto atletas – um Júnior, um Sub-23, um Elite e uma Elite. Cada atleta corre uma volta no circuito de cross-country e depois passa para o próximo membro da equipe na zona de transferência. É uma prova de estratégia, que envolve a ordem e as qualidades de cada corredor e de cada equipe.

 

Cross-Country por etapas – Stage Race (XCS)

Uma prova por etapas normalmente é constituída por uma série de provas de cross-country, exceto XCE, que são disputadas por corredores individuais e por equipes, com no mínimo de 3 e no máximo 9 etapas, realizadas em dias consecutivos. Os atletas devem terminar cada etapa respeitando os procedimentos específicos do evento a fim de poder passar para a etapa seguinte.
* Popularmente provas de XCS com muitas etapas de XCM são chamadas de Ultramaratonas, mas para a UCI a denominação é XCS.

 

Ultramaratona de Mountain Bike

A principal diferença entre a maratona e a ultramaratona de mountain bike está na distância do percurso, De acordo com a FMC – Federação Mineira de Ciclismo, as ultramatonas necessariamente devem ter percursos acima de 160km em uma etapa contínua. O regulamento desta modalidade ainda está sendo aperfeiçoado em eventos de teste, por ter as regras originadas no XCM, mas devido a longa duração da prova alguns ajustes e adaptações são feitas de acordo com a competição a fim de criar condições para que o atleta atravesse a noite ou variações climáticas extremas, como o calor do dia e uma madrugada gelada, por exemplo, liberação do uso de lanterna, capa ou corta-vento, etc. O termo ainda não é utilizado pela UCI, e provavelmente as definições da FMC vão pautar as regras da CBC – Confederação Brasileira de Ciclismo e também a própria UCI.

 

Endurance

São competições de 6 a 24 horas de duração, com voltas em circuitos semelhantes aos de XCO ou de XCT. As provas são disputadas por corredores individuais e por equipes de revezamento, vence quem fizer o maior número de voltas no período de duração da prova. Este tipo de prova e de denominação não é utilizado pela UCI.

 
 

Veja também

» Confira o nosso ranking com as melhores ultramaratonas de MTB do Brasil
» As 4 modalidades do Campeonato Mundial de Mountain Bike
» Ladies and Gentlemen, Mr. Gary Fisher

 

Referências

• CBC – Confederação Brasileira de Ciclismo
• UCI – Union Cyclist Internationale
• Wikipedia

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: @tripedalnetMore...