A princípio, o Professor me convidou como apoio nessa aventura na Chapada dos Veaderos, e conversa vai, o convite mudou para eu participar pedalando.

Jiraya e finalistas da Exp. Tripedal Chapada dos Veadeiros
Início da Expedição Chapada dos Veadeiros (Tripedal.net)

Depois de muito tempo parado, resolvi aceitar com muito medo pois agora não seria mais como apoio e sim para pedalar com antiga máquina da brutal Julia heide, uma Caloi Vitus, e mesmo sem tempo para treino o desafio foi aceito.

Partimos da famosa fazenda Volta da Serra na manhã de sábado do dia 16/12/2017, no primeiro dia uma viagem de 145km de pedal passando por São Jorge, Colinas do Sul, cruzando o Rio Preto, Povoado Capela, enfrentando a subida do inferno e finalmente chegando a cidade de Cavalcante, onde iríamos passar a noite e o nosso motora de apoio de nome esquisito (Jizreel) já estaria lá prestativo nos aguardando. Logo com 100m de pedal minha corrente solta, mas o nosso Professor colocou um Power Link e resolvido, nos primeiros 50km dei uma amaciada na máquina e senti que iria ter dificuldades em relação a adaptação, comecei a sentir dormência na mão esquerda, nos 100km veio o bico de papagaio até aí tudo bem.

Decidi uma estratégia para concluir o primeiro dia de percurso, após passar pelo Povoado Capela, onde me hidratei muito com água e sal grosso, sentei a bota pegando alguns pingos de chuva que me ajudou bastante pois tinha uns decidão doido e eu pesando 93kg estava com pneus baixos, além do mais tenho tesão em pedalar na chuva, não era uma corrida mas o medo de ficar pra trás e dar trabalho me preocupava. Pois sei que estava com ciclistas com vasta experiência quando se fala em pedal, com uma vantagem de mais de 30 minutos que consegui quando eles pararam para comer algo, tipo almoço, de acordo com o Darley, o Miquéias estava brocado e precisava se alimentar para encarar a longa subida da Serra de Cavalcante.

Wanderley Jiraya com Miquéias rumo ao Cavalcante - Expedição Tripedal Chapada dos Veadeiros
Jiraya e Miquéias rumo a Cavalcante (Tripedal.net)

Chegando na subida do inferno, já sabendo que não zerava, gritei minha mãe mas ela não me escutou, quase chorei, empurei parei e usei a vantagem de tempo que tinha aberto, mas logo depois começou uma preocupação: cadê eles?! Minha equipe estava demorando muito a colar, olhava por cima da serra e não via ninguém, será o que houve?? Aproveitei para descançar mais um pouco e tirei um cochilo de 20min no meio do mato e nada deles aparecerem, passei por um motoqueiro maconheiro que queria me dar um baseado a qualquer custo, nada contra, mas não sou adepto da maconha. No final da subida, perto de Cavalcante escuto algo do meu lado e vejo meu Professor com sorriso nos dentes, tranquilo ele zerou toda a subida do inferno sem fingimento e disse que os outros estavam bem e a caminho.

Minha estratégia deu certo subi com fome, mas leve e com tempo suficiente para chegar em primeiro, logo veio Darley, Julia e Miquéias, todos di boa. Ápos um banho no hostel maravilhoso partimos para o jantar, não resistir a um estrogonofe de frango delicioso, aff. A noite foi boa, fora os roncos do Miqueias não quis acordá-lo e fui dormir no hall em dois sofas, tudo bem kkk. No dia seguinte estávamos todos dispostos e preparados para um pedal no asfalto de 120km.

Partimos após as 9h da manhã com destino a fazenda Volta da Serra. Eu abri doido virado no Jiraya. Passei por Teresina que nem vi, após 50km de pedal veio as dores, um calo de bunda estoura e dói muito, me obrigando a pedalar em pé constantemente.

Minha equipe passa por mim e peço a eles para trazer o motora resgate, e que eu iria sofrer ainda mais 50km até Alto Paraíso, o Professor disse: bora Jiraya é so um calo na bunda, só tem mas umas 3 subidas. Ri mais ainda quando a Julia viu umas delas e assustou kkk. Miquéias só tinha uma visão focada e não olhava para os lados, só virava quando ia tirar fotos.

Dei tchal pra eles e sobrei. Sofri mas uns 10km quando passa por mim uma Frontier branca de um ciclista perguntando se eu queria um apoio, o que vcs fariam?? Kkk Não pensei duas vezes, caí pra dentro do carro do meu amigo Marcos Alves de Sobradinho e matei 40km.

Já em Alto Paraíso criei a força do Jiraya e resolvi pedalar em pé mais 25km até a fazenda, até uma decida doida muito massa na entrada da fazenda do Lauro. Curti demais, passei com tudo na ponte que dois dias atrás estava inundada.

Minha equipe mandou sinal, estavam preocupados será que ganharam o Jiraya ou ele pegou carona, mas já estavam de boa almoçando, o povinho que gosta de comer em pedal, kkk. Cheguei sem a pele da bunda as 14h30 na fazenda e aguardei ansioso meus amigos, quando as 16h35 eles chegam com a missão comprida.

Wanderley Jiraya - Expedição Tripedal.net Chapada dos Veadeiros
Exp. Chapada dos Veadeiros (Tripedal.net)

Teve medalha simbólica de participação, foi um momento muito bacana. Agradeço demais, muito mesmo ao criador desse mundo cheio de maravilhas e a vcs professor DARLEY, sua campeã JULIA, nosso guerreiro MIQUÉIAS ao nosso motora JIZREEL, ao LAURO e sua irmã que foram muito prestativos conosco até a próxima.

 

Veja também

» Expedição Chapada dos Veadeiros por Joélia Aguiar
» Confira mais publicações sobre a Chapada dos Veadeiros

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: tripedalnetMore...