Único ponto de contato com o solo, o pneu pode fazer toda a diferença no desempenho do ciclista

CIMTB Levorin
CIMTB Levorin (Divulgação)

Ir para uma competição de mountain bike requer muito mais que preparo físico, é preciso organizar o equipamento que irá acompanhar o atleta durante a prova. E um dos itens importantes nesse planejamento é a escolha dos pneus, que são o único ponto de contato da bicicleta com o solo. Para isso, o competidor deve levar em consideração diversos fatores, desde o terreno em que irá pedalar até o clima do local. Segundo o técnico especialista em pneus de bicicleta da Levorin, Gecimário Rocha, entre um dos principais erros cometidos por atletas, está a escolha inadequada da largura e do desenho para aplicação e terreno.

Pneus Levorim para Mountain BikeDe acordo com ele, a primeira coisa que o atleta deve levar em consideração é o terreno. “É preciso verificar se é macio, se tem barro ou é arenoso, ou ainda se sólido, duro ou mesmo misto. Quanto mais macio e arenoso, mais trativo deverá ser o desenho para proporcionar melhor agarre. A largura do pneu influencia bastante, muito fino, estreito significa menor tração, porém maior velocidade, isso depende do terreno. Maior largura, melhor tração, porém menor velocidade. Aros maiores, solicitam menor esforço nos pedais e, naturalmente, menores aros, mais esforço”, explica Gecimário.

Ao fazer uma escolha equivocada do pneu para determinada competição, o atleta perde desempenho e acaba sendo necessário aplicar maior esforço físico. “Além disso, é preciso ficar atendo à calibragem. Para escolher a calibração correta, deve-se levar em consideração seu peso, o modelo de pneu e o terreno de aplicação. Para isso existem algumas tabelas que especificam a pressão ideal de acordo com essas variáveis”, afirma Rocha.

Existe uma grande variedade de pneus para bicicleta. “A Levorin produz pneus para mountain bike, urbano e speed e, em cada uma dessas linhas, temos uma grande variedade de desenhos e medidas, que se ajustam ao melhor binômio desempenho – terreno”, finaliza.

A importância da escolha certa

A experiência também faz a diferença na hora da competição. Isso porque, quem já passou por problemas relacionados a pneus, sabe que não quer repetir a situação. O atleta Erick Bruske (Specialized Racing BR), que é Sub-23, contou que em 2016 em Araxá, a chuva na hora da prova do Contrarrelógio foi uma surpresa desagradável. “Especialmente na etapa de Araxá da CIMTB, que é uma prova de estágios, um erro no primeiro dia, irá acarretar em consequências nos próximos. O Contrarrelógio é uma prova que você tem que estar com tudo alinhado e nesse dia, a forte chuva pegou muito atleta desprevenido. Eu estava com pneus de rolagem e acabei sentindo bastante. A pista estava bem lisa e escorregadia, foi difícil segurar em cima da bike e não tive uma boa performance. Como consequência, tive largadas ruins nos dias seguintes, o que afetou diretamente no meu resultado”, lembrou.

daniel-zoiaJá aconteceu de o tempo mudar minutos antes da largada e não ter tempo de trocar os pneus. Hoje, quando o clima está instável, eu coloco pneus que encaixam em terreno misto, que andaria tanto no terreno molhado quanto no seco, para que eu tenha segurança em qualquer situação.

Uma dica é o competidor levar tanto pneus para situações secas como também para chuvosas. Além disso, conferir a calibragem ideal para conseguir pilotar melhor a bike.” Daniel Zóia (Audax Bike Team)

 

Fonte

Assessoria de Imprensa CIMTB Levorin

Facebook: tripedalnetTwitter: @tripedalnetInstagram: @tripedalnetMore...